Scone gigante com pêssegos e framboesas


Ao ver as fotografias deste doce para vos escrever qualquer coisa, fiquei com vontade de o comer novamente... e a inspiração repentinamente fraquejou!
Ainda inspirados pelas framboesas e pelo calor que, entretanto, foi para outras paragens, experimentámos este scone gigante adocicado com o sabor da fruta e das natas batidas com açúcar.
É um doce de primavera/verão, não é muito doce, é fresco e saboroso!

Bacalhau fresco com crosta de sésamo


Tenho a sorte de poder ir almoçar a casa todos os dias (praticamente) e tenho ainda uma sorte maior de ter um marido que às vezes prepara o almoço! Às vezes saem douradinhos no prato, mas outras vezes sou surpreendida com receitas novas! :-)
Foi o caso deste bacalhau fresco, acompanhado com feijão verde. Ao ver as vagens verdes no prato franzi o nariz (não sou fã deste legume), mas comi tudo e gostei. 
O bacalhau fresco é pouco utilizado na cozinha portuguesa, mas é um peixinho saboroso, com muita poupinha, macio e com poucas espinhas, como se quer!
Não deixem de experimentar esta receita que é rápida (ele diz que é), saborosa e saudável. E não se assustem com o sabor a laranja que combina aqui na perfeição!

Sopas de Baco



O vinho alegra o olho, limpa o dente e cura o ventre (provérbio popular)

O Sopas à Mesa tem um novo espaço, desta vez dedicado ao vinho (vejam no menu, à direita).
Este espaço não tem a pretensão de ser um momento enológico, até porque nem temos conhecimentos para tal.
Também não temos a capacidade poética para dissertar idilicamente os sabores do vinho. Portanto, frases como “aromas de ramo verde pisado por ovelha jovem na encosta oeste da serra da estrela” não serão aqui associadas aos vinhos da nossa mesa.
No nosso universo de provadores, cabe apenas o universo do gosto: gosto/não gosto, fica bem com este ou aquele prato, é caro/barato, e outras definições que podem eriçar os cabelos aos conceituados escanções, mas outros humildes apreciadores de vinho, como nós, certamente entenderão.
Decidimos atribuir a pontuação de 1 a 5 estrelas para expressar a opinião do nosso palato e de 1 a 5para expressar a opinião da nossa bolsa! :)
Aceitamos também as vossas sugestões!

Duas Quintas 2010 - Douro



É um vinho tinto daqueles que sabe mesmo bem beber com um prato de carne "pesado", a acompanhar um bom queijo e/ou uma boa chouriça. Embora seja aquilo que achamos que os especialistas chamam "encorpado", bebe-se muito bem, é suave e tem um travo (que nem toda a gente gosta) a madeira.
Apesar de gostarmos deste vinho, achamos que é um pouco caro para o "dia-a-dia" (custa cerca de 8 ou 9 euros).

O que disse o nosso palato: 
 O que diz a nossa bolsa: 



Ovos de tomatada com batata-doce frita


Este prato lembra-me a cozinha da minha mãe e a casa onde cresci... no campo em frente a um grande laranjal.
A minha mãe cozinhava muitas vezes ovos de diferentes maneiras e eram os ovos das galinhas que estavam na capoeira (naquele tempo não se compravam ovos nos supermercado).
Estes nossos ovos de tomatada, também estavam especiais porque tinham ovos "verdadeiros", ovos gentilmente oferecidos por uma colega minha, que tem a sorte de poder desfrutar das riquezas do campo.
Acompanhados com batata doce frita e pãozinho torrado, estes ovos de tomatada ficam ainda mais especiais e mais saborosos!

Ananás com creme de framboesas

Esta sobremesa é tão fácil, mas tão fácil que quase é uma vergonha partilhar convosco!
É muito fresquinha e saborosa e especialmente indicada para quem não gosta de sobremesas muito doces.
E só cá entre nós, fica um prato com muito bom aspecto, não fica? ;)

Rodelas de ananás || 50 gr. framboesas || 1 colher de sopa de água || 1 colher sopa açúcar amarelo || raspa de limão


Com a varinha mágica, triture as framboesas com a água.

Passe num coador a mistura para retirar as grainhas e coloque num tachinho pequeno.

Junte o açúcar amarelo e leve a lume médio até começar a borbulhar.

Retire do lume e adicione um pouco de raspa de limão.

Na altura de servir, basta colocar o creme das framboesas por cima do ananás!

Sugestão: se gosta de contrastes, experimente adicionar um pouco de sal em cima do ananás. Fica delicioso!






Sangria de framboesa e limão


Com esta sangria bem fresquinha, em que as framboesas são rainhas, sentimos o sabor a verão! :-)

 

Um bom Vinho branco | seven up | framboesas | limão (raspa e sumo) | açúcar amarelo a gosto | hortelã


Misture as framboesas com a raspa e sumo de meio limão e o açúcar amarelo. Deixe ficar a macerar uns 10-15 minutos pelo menos.

Num jarro, deite a mistura de framboesas, meio litro de vinho branco e um pouco menos de seven up (cerca de 350 ml).

Mexa bem, jogue-lhe uns cubos de gelo, umas rodelas de limão e umas folhas de hortelã.

Beba.

... e Beba.

e se for preciso faça mais! ;)


Bolinhas de farinheira com azeitonas e maionese de framboesa


Este petisco é de simples preparação e junta os ingredientes tradicionais com o sabor mais arriscado das framboesas no molho que as acompanha, como que um jogo de sabores imprevisíveis em que o salgado das bolinhas rola no adocicado da maionese.

- Mãe, quero mais uma bolinha, mais uma bolinha! (e os pequenos levaram as bolinhas quase todas...)

Francesinha à moda do sopas

Advertência:

este post não é aconselhável a pessoas sensíveis a comidas calóricas, especialmente se estiverem num período de dieta ou a pensar nisso.


Eu: Acho que hoje podíamos tentar fazer umas francesinhas para o jantar. Apetecia-me! Orientas?
Ele: OK! (sempre muito assertivo nas suas respostas... às vezes até fico na dúvida se está a responder ao que perguntei)

E assim foi, ao jantar tínhamos duas belas francesinhas e com molho caseirinho!
Qualquer purista na matéria poderá contestar a genuidade desta receita, mas para o meu humilde palato estavam óptimas. Quando formos ao Porto (uma promessa que tem sido adiada), logo provamos as originais e melhoramos a receita.

No final, já de barriguinha satisfeita, comentei: Isto deve ser uma bomba calórica, não?
Ele: Não... se vires bem, o molho quase nem leva gordura!
Pronto, vou iludir-me que isto é QUASE saudável.


Rolo de carne picada, recheado com tomate seco e mozarela


“Este prato não ficou muito bem nas fotografias”, diz ele, muito preocupado com o lado artístico da coisa.
Mas pronto, é uma realidade as nossas refeições não são propriamente preparadas a pensar na fotogenia de cada prato! :-)
A verdade é que é uma refeição fácil de preparar e normalmente sobra carne o que é muito bom, pois fica com a refeição seguinte preparada, só tem que escolher um outro acompanhamento. E se sobrar mais umas fatias do rolo, pode fazer uma sandes para comer depois de uma sopinha.
Pela versatilidade do prato, por ser saboroso e fácil de preparar, não quis deixar de partilhar convosco.


Pão achatado com ricotta, tomilho e limão


Cá em casa vemos programas sobre comida, como quem vê novelas ou outras séries “holiodescas”!

Gostamos de tirar ideias para a nossa comida do dia-a-dia. Sim, tudo o que aqui partilhamos são pratos das nossas refeições diárias. Não são ensaios para o blog.

Na maioria das vezes nem anotamos a receita ou os ingredientes... ficam as ideias cá dentro para um dia experimentarmos alguma coisa parecida.

Eu gosto mais de experimentar aquilo que já sei à partida que vamos gostar e arrisco pouco nos sabores novos. Ele é muito mais aventureiro. Às vezes não acertamos no nosso paladar, outras vezes descobrimos receitas novas que são para repetir.

É o caso desta receita, cuja ideia foi tirada de um dos programas do Gordon Ramsay.

Este prato pode servir de entrada ou de petisco para aconchegar uma refeição, depois de uma sopinha.

Esparguete com tomate seco e parmesão...

...e um almoço a dois


Este pode parecer ser, à primeira vista, um post romântico, mas não é.
Na verdade, este almoço foi improvisado à última hora e procurou aconchegar a nossa alma de pais com o coração apertadinho, depois de termos sido postos à prova por mais uma real birra do nosso filho mais novo.
Um almoço que se previa acontecer num restaurante, ficou para trás e cozinhámos este prato de massa (só para nós, depois de os alimentar com salsichas) que ficou muito saboroso.
Cá em casa temos uma relação muito humanizada com a comida. Passo a explicar: quando estamos contentes gostamos de comemorar com uma bela refeição e no nosso estado antagónico procuramos conforto num prato aconchegante.
Aproveitámos o bom tempo, e a nossa varanda com vista para o mar e para a serra foi o cenário perfeito para relativizar as nossas angustias de pais (amamos incondicionalmente os nossos filhos, mas às vezes põem à prova o nosso lado paternal paciente).
No final perguntei-lhe: "estás melhor?" e ele respondeu. "já passou!"


Sopa de feijão verde



Fiquei indecisa quando escolhi o título para esta receita. É que as minhas sopas podiam chamar-se, quase todas, 'Sopa de Legumes', porque são sempre feitas um pouco por instinto, juntando vários legumes na panela, sem nenhuma precisão sobre a alquimia entre eles.

Mas pronto, chamemos-lhe 'Sopa de Feijão Verde', porque é o sabor desse legume que predomina neste caldo aconchegante.

“O que faz um homem com um garfo numa terra de sopas?” (do livro de Jordi Sierra)

Qual seria a vossa resposta a esta pergunta?

Dou uma pista: a resposta é muito simples, como todas as coisas que dão sabor à vida!



Massa chinesa com legumes e molho bolonhesa




Não gosto de deitar comida fora!
Por norma guardo sempre os restos, mesmo que seja pouco. Depois tento criar alguma refeição diferente com as sobras.
Às vezes, faço propositadamente em maior quantidade e congelo. Sei que vai ser-me útil para desenrascar alguma urgência futura. É o que acontece, por exemplo, com a bolonhesa.
Aqui fica uma sugestão que, não incluindo o molho de bolonhesa, pode ser um saboroso prato vegetariano.
A escolha dos legumes é feita em função do que há no frigorifico, neste dia ficou assim.


“Se comermos menos, degustaremos mais.” (provérbio chinês)

Arroz de berbigão enriquecido com peixe




Vivemos aos pés da Ria Formosa e temos a sorte de receber berbigões acabadinhos de apanhar… com um belo cheirinho a mar (rica sogra!).
As quantidades são sempre generosas, pelo que congelo uma parte para ir fazendo uns petiscos.
Este arroz de berbigão é enriquecido com um peixinho (normalmente dourada ou pescada) e fica muito bom. A receita é um pouco feita a olho (como em tudo o que habitualmente cozinho)…. Parece complicada, porque tem vários passos, mas é bastante simples.



Pesquisar

Siga-nos no Facebook!

Gosta?

Fotos!

RSS
Instagram


Categorias

Com tecnologia do Blogger.

Seguir por Email

Blogs Portugal

Top blogs de receitas

Visitas